quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Crise na educação coloca pais e prefeito frente a frente em protesto, em Afonso Cláudio

Kennedy Lenk

Os pais dos alunos da Escola Augusta Lamas D’ávila, em Afonso Cláudio, não digeriram bem a notícia de que seus filhos seriam transferidos para outra Escola. Indignados, eles saíram de uma reunião com a secretária de Educação e seguiram até a casa do prefeito Wilson Berger Costa, que os atenderam no meio da rua. Era o início de um protesto que durou 40 minutos.

                                                                          Foto: Kennedy Lenk/Rádio Educadora

Uma reunião com os pais dos alunos, convocada pela secretária Gilda Zanelato, teve início às 19 horas, no salão do Sindicato Patronal dos Trabalhadores Rurais. Lá, ela foi taxativa em afirmar que a decisão já havia sido tomada pela administração. A ideia, segundo ela, era para conter despesas, a pedido do prefeito Wilson Berger Costa.

A forma encontrada foi contrária à opinião de todos os pais presentes, que admiram a escola e até contribuem voluntariamente, quando necessário. De acordo com a mãe de um dos alunos, a secretaria deseja transferir as crianças e utilizar as dependências da Augusta Lamas D’ávila para economizar o aluguel do atual prédio da Educação, localizado na Rua Eliezer Lacerda Fafá.

Durante a reunião, uma criança pediu o microfone e disse chorando: “Vocês não tem o direito de acabar com uma escola, onde tenho amiguinhos e professores que tanto gosto”. As lágrimas desta criança alimentaram ainda mais o desejo dos pais de impedir o fechamento da escola. Disseram não para a secretária, e seguiram em passeata até a casa do prefeito.

Com gritos de “A escolinha é nossa!”, dezenas de pais protestaram em frente à casa do prefeito, que desceu para atendê-los. Muitas foram as perguntas, que o prefeito não hesitou em responder. Contrariando a secretária, Wilson disse que nada foi decidido e que eles haviam interpretado mal a secretária, sem a aprovação dos presentes.


“Existem muitas formas de conter despesas sem sacrificar os alunos. A secretária nos afirmou que a decisão já estava tomada, do contrário não estaríamos aqui”, comentou uma das inúmeras mães de alunos, que foi aplaudida. Ao Portal Montanhas Capixabas, ela disse que farão uma reunião a fim de decidir se levam o caso à Justiça.

Deixando claro que a sua palavra é a que vale, o prefeito prometeu que nenhuma decisão radical será tomada por enquanto, e que a secretária não se fez entender. Entretanto, ele afirmou para o Montanhas Capixabas que algumas escolas do interior serão fechadas e os alunos transferidos para escolas da cidade. Foram 40 minutos de discussão, com final “feliz”.

Fonte: Montanhas Capixabas

SHARE THIS

Author:

Etiam at libero iaculis, mollis justo non, blandit augue. Vestibulum sit amet sodales est, a lacinia ex. Suspendisse vel enim sagittis, volutpat sem eget, condimentum sem.

0 comentários: